Epic Games tem de pagar US$ 520 milhões por violação de privacidade infantil

A Epic Games, desenvolvedora de Fortnite, concordou em pagar o total de US$ 520 milhões à Federal Trade Commission (FTC), “uma agência do governo dos Estados Unidos que supervisiona o mercado competitivo e tem como objetivo proteger os consumidores contra propagandas enganosas e práticas comerciais desleais” (via spiegato).

O acordo tem a ver com duas acusações feitas contra a Epic Games: a primeira se refere a uma alegação de que Fortnite violou a proteção de privacidade online para crianças, e a segunda é sobre uma prática de enganação aos jogadores com compras não intencionais.

Detalhes das alegações contra a Epic Games

Conforme detalhado pela Forbes, a Epic Games foi acusada, principalmente, de violar o Children’s Online Privacy Protection Act (COPPA) ao coletar informações pessoais de jogadores menores de 13 anos sem consentimento de seus pais e, portanto deve pagar US$ 275 milhões à FTC.

A publicação indica que a Epic Games teria coletado os dados por meio de uma ativação ilegal do chat de voz e texto em tempo real durante partidas com crianças e adolescentes. Isso teria sujeitado diversos jogadores a serem “intimidados, ameaçados, assediados e expostos a questões perigosas e psicologicamente traumatizantes, como o suicídio”.

A segunda acusação, por sua vez, é voltada a uma variedade de estratégias supostamente utilizadas pela Epic Games para conduzir os jogadores de Fortnite a realizar compras indesejadas. Ao mesmo tempo, a companhia teria colocado uma série de barreiras para evitar o cancelamento dessas aquisições.

Por estas práticas, a desenvolvedora de Fortnite deve pagar US$ 245 milhões à FTC, e além de reembolsar as vítimas, precisará realizar mudanças significativas em seu sistema de compras para evitar reincidências desse tipo, e estabelecer um programa de privacidade, entre outras demandas da agência governamental.

Via: GamesIndustry.biz, Eurogamer

Artigos Relacionados