Twitter Blue é relançado nesta segunda-feira (12); confira as novidades

Imagem mostra logotipo do Twitter Blue, plataforma paga do Twitter

O Twitter Blue está finalmente de volta — e de cara nova. Depois de um tempo fora do ar por ter provocado diversos problemas em uma recente implementação, o serviço pago da rede social foi relançado nesta segunda-feira (12), com direito a novos (e polêmicos) recursos.

Antes de partirmos para as novidades, vale destacar que a assinatura está mais cara para usuários de iPhones, como já era especulado. O preço mensal de US$ 8 foi mantido para quem fizer a inscrição via web, mas nos celulares da Apple, o serviço exigirá US$ 11 por mês.

O motivo desse aumento é bem claro: arcar com os 30% de comissão cobrados pela App Store sem levar prejuízo. Elon Musk parece ter encontrado uma maneira de driblar essa taxa da Apple, mas no caso, esse valor excedente vai sobrar para o próprio usuário.

Divergências de valores à parte, o relançamento do Twitter Blue trará diversos novos recursos para os assinantes. É certo que, por ora, apenas usuários de EUA, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido poderão desfrutar disso. Mas a ideia é expandir o serviço para mais países, posteriormente.

As novidades do novo Twitter Blue

  • Novos selos de verificação

Uma das principais novidades será justamente o selo de verificação da conta. Se antes o emblema poderia ser adquirido gratuitamente por celebridades ou perfis relevantes, ele agora também será concedido para usuários que toparem desembolsar de US$ 8 a US$ 11 por mês.

Mas com a mudança, há novos selos chegando à plataforma. Empresas e perfis governamentais/multilaterais passarão a receber os selos dourados e cinzas, respectivamente. Perfis individuais vão permanecer com o selo azul, mas ao que parece, haverá um logotipo secundário para diferenciar membros notáveis de assinantes.

Vale destacar que assinantes do Twitter Blue poderão alterar o user, nome de exibição ou foto de perfil. Contudo, as ações vão fazer com que o selo seja removido temporariamente, até que uma nova revisão da conta seja feita.

  • Função para editar tweets

Extremamente requisitado, o recurso de editar tweets estará disponível para assinantes do Twitter Blue. Se a funcionalidade seguir os mesmos moldes da função que estava sendo testada, usuários moderão editar o post no tempo limite de 30 minutos após a publicação original.

Importante frisar que será exibido um ícone para reforçar que o tweet foi editado, que também conterá hora e data do ajuste. Ao clicar na etiqueta, usuários poderão verificar o histórico da publicação, incluindo as versões anteriores.

  • Vídeos em Full HD

Assinantes do serviço também estarão habilitados a fazer uploads de vídeos em 1080p.

  • Modo leitura

Por fim, o Twitter Blue também oferecerá o modo leitura — similar ao modo de leitura de navegadores —, que melhora a legibilidade das publicações.

  • Novidades futuras

Outros futuros recursos já foram alvos de spoiler e incluem: priorização de tweets de usuários verificados; visualização de metade dos anúncios que um usuário gratuito veria; possibilidade de postar vídeos mais longos; acesso antecipado a recursos com o Twitter Blue Labs.

[–quebra–]

Aumento do limite de caracteres deve ser realidade

Deixando um pouco as novidades do Twitter Blue de lado, a rede social deverá passar por outra grande mudança — e para todos: o aumento do limite de caracteres. É verdade que Musk já comentou que o movimento é uma das prioridades da rede, mas agora temos um número mais assertivo.

Em resposta a um usuário no último domingo (11), o dono do Twitter confirmou os planos da plataforma de aumentar o limite de 280 caracteres para 4.000 caracteres.

Yes

— Elon Musk (@elonmusk) December 11, 2022

Resta saber quando essa grande mudança acontecerá.

Via: Mashable

Artigos Relacionados